domingo, 3 de junho de 2007

Governo x Trabalho Infantil


Na tentativa de erradicar o problema, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, a Presidência da República e o Ministério do Trabalho e Emprego destinam, juntos, R$ 376,9 milhões do orçamento de 2007 para o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI).

O programa engloba ações como a concessão de bolsas e atividades socioeducativas para crianças e adolescente em situação de trabalho. As ações visam proteger socialmente crianças que tiveram o direito ao não-trabalho violado, por meio de garantia da permanência na escola, fortalecendo o processo de aprendizagem.

Só para essas ações estão previstos R$ 316,3 milhões, 84% do valor total da dotação autorizada do programa para este ano. Dos R$ 376,9 previstos para este ano, apenas R$ 90 milhões foram pagos até o último dia 30. Segundo levantamento feito pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), o Ministério do Desenvolvimento Social e combate à Fome considera que os recursos para este ano são suficientes para atender às 1,5 milhão de crianças previstas no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), tendo em vista os que já são atendidos pelo programa Bolsa Família.

Fonte - contasabertas.uol.com.br/noticias/detalhes_noticias.asp?auto=1710

Próximo assunto – Opiniões sobre o trabalho infantil

2 comentários:

Anônimo disse...

O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI está implantado em quase todo o Brsil.Ele foi criado pelo Governo Federal através do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate á Fome com a finalidade de erradicar o problema no Brasil.As ações desenvolvidas no contra turno social têm apresentado bons resultados. Dia 12 deste mês acontecerá em Curitiba um Seminário sobre a Erradicação do Trabalho Infantil. Estaremos lá para dar nossa parcela de contribuição...

Carmen.


Carmen

Anônimo disse...

O trabalho infantil no país está vinculado também ao crescente desemprego e à falta de qualificação profissional. A injusta distribuição de renda, que apresenta índices percentuais alarmantes sobre a pobreza extrema, conduz, por força da necessidade de sobrevivência, famílias inteiras ao trabalho sem garantia de uma remuneração decente, onde se incluem as crianças. Para assegurar o pão "daquele" dia e devido ao baixo sálário, até o trabalho da criança é exigido. E a culpa, em muitos casos, não é dos pais. Chega de paliativos de programas assistenciais humilhantes, de leis em conflito com a realidade trágica do desemprego e da fome. O trabalho infantil quando não a mendicância) existe também porque grassa a miséria no país. Educar é preciso... Oportuníssima a aobordagem do tema e a análise introdutória. A solução por certo virá do enfrentamento do problema. Todos devem participar da discussão e apresentar sugestões. Parabéns à futura jornalista.

Vasoma - 10 de junho de 2007.