sexta-feira, 22 de junho de 2007

Trabalho infantil agrícola


Todos os anos, especialmente no período do plantio e colheita, milhares de crianças brasileiras que residem em zonas rurais afastam-se da infância e aproximam-se da exploração de sua mão-de-obra. Nos municípios do Semi-árido, devido à irregularidade das precipitações, as famílias intensificam seu trabalho para aproveitar os curtos período de chuva e iniciar o preparo da terra.

Embora cerca de 80% da população do Brasil viva em áreas urbanas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2000, é na área rural em que, proporcionalmente, está concentrado o uso da mão-de-obra infantil.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), de 2001, 53% dos meninos e 46,5% das meninas, de 05 a 15 anos, que trabalham no Brasil vivem no meio rural. Desses, a maioria trabalha na área agrícola. Segundo dados do PNAD referentes a 2004, 5,3 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos trabalhavam em todo o país, sendo que destes 75% estavam na agricultura.

Fonte: www.fnpeti.org.br

quarta-feira, 20 de junho de 2007

UNICEF, governos, sociedade civil e empresas renovam pacto pelas crianças e pelos adolescentes do Semi-árido

O UNICEF, governos, sociedade civil e empresas renovam pacto pelas crianças e pelos adolescentes do Semi-áridoO UNICEF, os governadores dos 11 Estados do Semi-árido, o governo federal, cerca de 80 organizações da sociedade civil e empresas preparam-se para renovar, no próximo dia 26 de junho, em Brasília, o Pacto Nacional Um mundo para a criança e o adolescente do Semi-árido.

O Semi-árido brasileiro é uma das prioridades do UNICEF. Ali, em cerca de 1,5 mil municípios, vivem aproximadamente 13 milhões de crianças e adolescentes. Entre eles, cerca de 250 mil meninos e meninas de 10 a 14 anos ainda estão fora da escola. Uma em cada seis crianças trabalha e mais de 390 mil adolescentes são analfabetos.

Em sua primeira versão, os governadores dos 11 Estados e do governo federal assinaram um documento em que se comprometeram a adotar medidas para a melhoria das condições de vida das crianças e dos adolescentes. Apesar dos avanços, muitos desafios ainda persistem. Por isso, estes aliados reforçam seu compromisso, assinando novamente o Pacto.

Fonte: www.unicef.org.br

terça-feira, 19 de junho de 2007

Bahia tem maior número de crianças trabalhadoras


Bahia é o Estado que apresenta o maior número de crianças trabalhadoras do País. Dos meninos e meninas baianos com idades entre cinco e 14 anos, 9,13% trabalham. No Brasil, essa média fica em torno de 6,33%. Só este ano, a Delegacia Regional do Trabalho (DRT) flagrou 693 casos de exploração da mão-de-obra infantil, dos quais 50% concentravam-se no campo.

Presente em mais de um terço dos 417 municípios da Bahia, o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) beneficia 128 mil garotos e garotas, o que representa apenas metade das crianças e adolescentes que trabalhavam no Estado em 2005. Os dois municípios da Bahia com maior número de ocorrências de trabalho infantil foram Wenceslau Guimarães e Gandu.

Conseqüências - Segundo a última Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad), 70% dos meninos e meninas brasileiros trabalham em atividades agrícolas. O médico e auditor fiscal Gerson Estrela destaca que as atividades que envolvem carregamento de peso provocam deformações na coluna vertebral da criança em desenvolvimento.

Fonte: http://www.fnpeti.org.br/

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Crianças em Brasília



Um grupo de crianças e adolescentes foram ontem ao Congresso Nacional, em Brasília, para pedir ajuda.

A sucata do aterro sanitário de Brasília, que atrai o garoto e sua família, agora enfrenta a concorrência corajosa do Projeto Catavento, que funciona bem ao lado e já conseguiu retirar 70 crianças do lixão oferecendo estudo no lugar do trabalho pesado.

Apesar do esforço do Projeto Catavento, o IBGE, depois de pesquisar no Brasil inteiro, encontrou justamente em Brasília o maior índice de aumento de trabalho infantil. Comparando 2004 com 2005, são 163% a mais e, diante desse número vergonhoso, o pessoal achou que já estava na hora de pressionar quem tem poder na mão.

Políticos cercados, abordados, encostados contra a parede. “Por isso que a gente tá aqui”, diz uma menina.

E será que pressão de criança funciona? “Se o depoimento de uma criança não é ouvido, eu não sei mais o que pode ser ouvido nesse país”, declarou a senadora Patrícia Sabóia (PSB- CE).

Fonte: Jornal Nacional
jornalnacional.globo.com/Jornalismo/JN/0,,AA1563431-3586,00.html

terça-feira, 12 de junho de 2007

12 de junho - DIA MUNDIAL CONTRA O TRABALHO INFANTIL


O Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil (DMCTI), 12 Junho, tem o objetivo de promover a conscientização sobre os desafios que o trabalho infantil apresenta. Ele procura mobilizar as autoridades, a mídia e o público em geral para eliminar este problema. Ele também convida os jovens a fazer sua parte ao aprender mais sobre os temas envolvidos, encorajando-os a explorar que ações eles podem realizar para efetuar mudanças, como indivíduos ou grupo.


Este ano, o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil será dedicado à eliminação do trabalho infantil na agricultura e, em especial, nas suas piores formas. Em todo o mundo, a agricultura é o setor onde se encontra a esmagadora maioria de crianças trabalhadoras - cerca de 70%. Mais de 150 milhões de meninas e meninos, menores de 18 anos, trabalham na produção agrícola e pecuária, ajudando a suprir parte do que comemos e bebemos e a fornecer as fibras e outras matérias-primas necessárias à produção de outros bens.



(Organização Internacional do Trabalho)

sábado, 9 de junho de 2007

Imagens do trabalho infantil

Confira as fotos do trabalho infantil em Cascavel/Pr

Michelle Marques de Mello
Por muitas horas menor trabalha no sol

Michelle Marques de Mello
Criança ajuda a mãe a catar papel


Michelle Marques de Mello
Garoto de 13 anos pedindo dinheiro


Michelle Marques de Mello
Adolescente que engraxa sapato e recolhe papel

Michelle Marques de Mello
Criança pedindo dinheiro e pai esperando

Crianças livres do trabalho infantil



Há diversos programas que contribuem para a retirada de crianças do trabalho infantil. O Peti (Programa para Prevenção e Eliminação da Exploração do Trabalho Infantil) é um deles, essas crianças permanecem horas estudando, brincando, adquirem tratamento psicológico, dentre outros.

A fundação Abrinq luta pelos direitos da criança e do adolescente, sem fins lucrativos proporciona educação, acesso a livros, amplia a oportunidade de aprendizado. Além de diversos projetos que essa fundação executa em benefício dessas crianças. O apelo a sociedade, denúncias de menores sendo explorados, um dos projetos, os prefeitos são inseridos, a fim de promover qualidade para essas crianças e adolescentes em cada município.

Sempre comento nesse blog as inúmeras formas de exploração do trabalho infantil, porém, é de suma importãncia citar tantas Ongs, Programas e projetos que libertam essas crianças desse convívio. Quero registrar aqui, meu caro leitor, que há um lado de toda essa história que nos motiva a termos esperança, crianças que hoje sabem sorrir, brincar , que tem a oportunidade de estudar, é é por isso que continuaremos a lutar. Não deixe deixe de acessar os sites que citei no texto do dia 07/06

Michelle Marques de Mello

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Programas, Ongs, campanhas para combater o trabalho infantil



Diante dos textos e informações que venho postando nesse blog, não poderia deixar de citar alguns sites que considero importantes, e, que lutam pelos direitos de nossas crianças.

Fundação Abrinq - www.fundabrinq.org.br

Revista Desafio - (entrevista muito interessante) www.desafios.org.br/Edicoes/26/artigo29574-2.asp

Organização Internacional do Trabalho - www.oit.org.br

Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil - www.fnpeti.org.br

Fundo das Nações Unidas para a Infância - www.unicef.org/brazil

Agência de Notícias dos Direitos da Infância - www.andi.org.br

Instituto de Apoio a Criança - www.iacrianca.pt

Central de Notícias dos Direitos da Infância e Adolescência - www.ciranda.org.br

O Brasil sem trabalho infantil doméstico - www.andi.org.br/tid

DENUNCIE - LIGUE - 100

Próximo assunto - Crianças livres do trabalho infantil

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Opiniões sobre o trabalho infantil



“A etapa da infância está destinada à aprendizagem e não à produção, muito menos à produção de subsistência, pela qual a criança deve autoprover o seu sustento e o de sua família”. (coordenador de projetos do Programa Internacional de Erradicação do Trabalho Infantil – Renato J. Mendes)
Fonte: portaldovoluntario.org.br


“É muito difícil fiscalizar e identificar esses menores trabalhadores porque muitas vezes estão trabalhando em casa, para a própria família”.(secretária executiva do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil – Isa Maria de Oliveira)Fonte: contasabertas.uol.com.br


“O problema não se explica apenas pela pobreza. O factor cultural aumenta o drama e torna-o invisível para uma sociedade que o aceita como parte da formação e do desenvolvimento de aptidões para a vida adulta”.(diretor da organização não governamental Casa Aliança, que defende os direitos da criança – Bruce Harris) Fonte: apagina.pt/arquivo/Artigo.asp?ID=3385


Nosso próximo assunto – Programas, Ongs, campanhas para combater o trabalho infantil

domingo, 3 de junho de 2007

Governo x Trabalho Infantil


Na tentativa de erradicar o problema, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, a Presidência da República e o Ministério do Trabalho e Emprego destinam, juntos, R$ 376,9 milhões do orçamento de 2007 para o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI).

O programa engloba ações como a concessão de bolsas e atividades socioeducativas para crianças e adolescente em situação de trabalho. As ações visam proteger socialmente crianças que tiveram o direito ao não-trabalho violado, por meio de garantia da permanência na escola, fortalecendo o processo de aprendizagem.

Só para essas ações estão previstos R$ 316,3 milhões, 84% do valor total da dotação autorizada do programa para este ano. Dos R$ 376,9 previstos para este ano, apenas R$ 90 milhões foram pagos até o último dia 30. Segundo levantamento feito pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), o Ministério do Desenvolvimento Social e combate à Fome considera que os recursos para este ano são suficientes para atender às 1,5 milhão de crianças previstas no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), tendo em vista os que já são atendidos pelo programa Bolsa Família.

Fonte - contasabertas.uol.com.br/noticias/detalhes_noticias.asp?auto=1710

Próximo assunto – Opiniões sobre o trabalho infantil

sábado, 2 de junho de 2007

Desafio - Como eliminar o trabalho infantil



Acabar com o trabalho infantil é realmente um desafio, mas que pode ser vencido. Diversas Ongs, Programas, Ações, para erradicar o trabalho e exploração infantil tem sido criadas. Houve, assim uma diminuição satisfatória do trabalho desses menores, muitos deles encontram-se hoje em casas de apoio, estudando, aprendendo uma profissão.

Necessita-se de ações integradas por parte do governo, políticas específicas que combatam o trabalho infantil. Se o problema é desigualdade, exclusão social, miséria, é isso que deve mudar. Não somente o governo, mas Sindicatos, Confederações Nacionais, Ongs. A fiscalização deve atuar de forma rigorosa, tanto com a exploração visível, quanto aquelas crianças no trabalho doméstico que muitas vezes tornam-se "invisíveis".

Mas é preciso inserir a sociedade nesse contexto, devemos nos envolver com essas crianças, denunciando, protestando, estender a mão literalmente a esses pequenos. Porquê não nos unimos a fim de permitirmos um futuro melhor a elas? Chega de preconceito, de simplesmente ter piedade e achar que não cabe a nós mudar algo, vamos lutar pelas crianças!!

Dê sua opinião como pode acabar o trabalho infantil

Michelle Marques de Mello

Nosso próximo assunto - Governo x Trabalho Infantil